w w w . s h a n t a l l . c o m

Cartas claras sobre a mesa.

abril 29th, 2011

Das pérolas às engrenagens,
a selvageria indecente dos brinquedos de corda reside.

Resiste ao tempo, às falhas de memória,
e a toda sorte de desesperos.

Punindo os olhares impregnados de falso moralismo,
insiste a beleza desertica das pétalas esquecidas.

Ele era o livro, ela era a mesa.

Ouçamos…

abril 28th, 2011

_ Descobri que não existe vida após a morte.
_ Como?
_ Estudando.
_ Estudando o que?
_ Sobre vida antes da morte, e sobre a morte após a vida, e ficou óbvio, e vida é vida e morte é morte.
_ Sem vida após a morte?
_ Não, é melhor a gente aproveitar… porque logo logo a gente vai deixar de existir.
_ Que medo.
_ Não existir não é ruim, nem bom, é só o nada sem consciência, sem ser. A morte é que é ruim. O momento sabe, o morrer. Por melhor que possa ser, não me agrada.
_ Como você gostaria de morrer.
_ Não quero morrer não, quero viver pra sempre dos pra sempre que nunca acabam.
_ Tipo Highlander? Mas lembra, no filme viver tanto daquele jeito era uma maldição.
_ A vida só é uma maldição pros fracos, se eu fosse highlander nem ia ficar com aquelas frescurinhas ridículas! Coisa de menininha, e daí que todo mundo vai morrendo, um monte de gente vai nascendo e assim a coisa vai funcionando…
_ Que egoísta.
_ Eu não disse que não era. Eu não me importaria de viver pra sempre. Mas seria legal se todo mundo pudesse também.
_ Mas se ninguém morrer como é que ia ter espaço pra todo mundo aqui?
_ Ué, porque precisaríamos ficar tendo filhos? Acho que só devia morrer quem tá afim de deixar de existir.
_ Todo mundo que se mata acredita em vida após a morte.
_ É, acho que quem não acredita em Deus, e não acredita em vida após a morte, entende o quão absurdamente foda é a vida e dá mais valor pro ato de existir.
_ É, acho que sim… acho que as pessoas estão sempre se dando a chance de errar, e fazem escolhas que vão lhes foder porque acham que vão ter uma segunda chance…  acham que podem foder os outros, porque um Deus sempre vai lhes perdoar…
_ É, acho que é assim… mas não, não existe vida após a morte, essa coisa alma humana, espírito… não, não existe.
_ A gente não pode fazer nada quanto a isso né… então vamos dormir…
_ Ahan, vamos…
_ De mãos dadas tá?
_ Tá…

….

_ Ainda bem que eu te encontrei.
_ E ainda bem que já faz tempo.

( e no escuro do quarto, um dorme ouvindo a respiração do outro )

============================================

Eu já disse que até que gosto de Pulp?
Até que gosto…

Adoro esse clip…

E eu já disse que eu gosto de Star Trekk? Tá, eu sou apaixonada pelo Spock!
#fato…
A versão do William Shatner ( Captain Kirk ) eh muito melhor!

Captain Kirk nerver failed like a Common People !!!

A-ten-ção

abril 28th, 2011

As pessoas sempre dizem que eu conheço pessoas muito legais… eu acho que todo mundo conhece pessoas legais… a diferença entre elas e eu, é que eu só fico com as legais e descarto as que não são legais… então parece que eu SOH conheço gente legal… mas conheço muita gente que não é legal, só que essas eu não carrego comigo… porque eu não lido com o joio!

Todas as pessoas que eu adoro, são pessoas únicas, eu coleciono pessoas únicas… cada uma é uma de um tipo… de um tipo que me agradou… não são perfeitas, são cheias de band-aids, reparos, suturas, cheias de invencionices, cheias de maluquices, cheias de entrecantos calamitosos, mas são tipo figurinha especial do álbum da copa de 1982.

Sabe que um amigo meu, esses dias me disse que eu sou uma espécie de catalisador pra ele… que eu dou sorte, que dou idéias, que inspiro, que acelero ele…  acho que tenho esse dom com as pessoas… mas o mal de ser um catalisador… eh que… você tem o dom de tirar o melhor das pessoas, de dar corda na bailarina da caixinha de música…  mas você é sempre e apenas, o catalisador…

Acho que no exercício dessa função reside um tanto de humildade, porque o catalisador dá algo que tem, e se felicita por ver o outro andando…

Acho que vou adotar o sobrenome McPhee… auhauha sou feia igual xD

Eu sou uma babá encantada ^_____^

“There is something you should understand about the way I work.  When you need me but do not want me, then I’ll stay.  When you want me but no longer need me, then I have to go.  It’s rather sad really, but there it is.”

Meu nome era Gabriela!

abril 21st, 2011

Levei o Mr. Spock pra cama… eu já disse que eu amo o Spock? AMO! Coisa de moleque!

Estive pensando no meu desenvolvimento de uma maneira que não tinha pensado antes com tanta atenção Percebi que eu não fui criada como uma menina.

Estive vendo umas fotos minhas de criança, e percebi que eu era um menino. Minha mãe mantinha meu cabelo sempre muito curto, me lembro de muitas vezes ficar chateada por pessoas perguntarem a ela qual era o nome do filhinho dela, no caso, eu. E foi então que eu quis deixar meu cabelo crescer. Eu me lembrei que eu me achava mesmo diferente da minha prima, eu tinha muitos shortinhos e camisetas e sandálias ortopé iguais as dor meus primos Eu usei kichute e até amarrava no tornozelo! As roupas que minha mãe comprava pra mim eram mais parecidas com as do meu primo do que com as da minha prima. Eu sempre me identifiquei mais com os meninos, mas nunca me achei um deles, mas eu não me identificava com a frescurite das meninas, gostada de brincadeiras mais brutas, mais “machucantes” …  sempre fui mais punk… e embora fosse sensível, nunca fui frágil.

Minha mãe perdeu um filho, com 3 anos de idade antes de me incorporar àquele núcleo familiar doentio, e percebi que ela me criou como menino. Mas pra mim era tão normal que eu nunca havia pensado sobre isso, porque nunca foi um problema pra mim.

Sabe que achavam que eu era lésbica, acho que porque eu era assim, um moleque, e porque eu tinha uma melhor amiga, e a gente era meio Batman e Robin… tá, na verdade a gente tava mais pra Master e Blaster… ou pra Thelma e Louise…  mas a gente era muito engraçada, e muito inocente… ela tinha crescido no sítio, a única menina, irmã mais nova de 4 irmãos, sempre brincou com meninos também, e na fase da adolescência onde todas as meninas só pensam em meninos, a gente só pensava em se divertir… a gente andava com um bando de menino só que a gente não ficava com eles, eram nossos amigos, então acho que achavam que a gente devia ser namorada auhauhauha   que nada, a gente gostava de falar de carro, de falar de filme, a gente amava música, adorava viajar de trem sem um tostão pra ver até onde a gente conseguia chegar…  a gente adorava ir pra outras cidades e mudar de nome, conhecer gente, conhecer lugares e nossa como a gente era inocente…  hoje vejo essas meninas abrindo as pernocas pra qualquer cara tão cedo sem o menor critério ou conceito… e me lembro de como a gente era… vejo algumas meninas que conheço e percebo que elas não viveram nem 10% do que vivemos, e passaram a vida toda correndo atrás de homem, e cresceram e continuam assim… eu fico muito grata por ter sido criada como um menino! MUITO!!!

Puta merda, quanto andar de bmx em pista de terra, quanto descer rio de boia, quanto fazer represa na enxurrada, quando fazer cabaninha em terreno, quanto invadir casarão antigo abandonado no centro e ficar contando histórias de fantasmas, quanto brigar com as crianças da rua de cima pelo domínio do parquinho da praça, quando andar de Jeep, quanto andar de Ford de Bigode, quanto andar de Mobilete e fugir do Patrocínio ( guardinha que corria atrás da molecada em uma moto, o cara era uma lenda na cidade de Jaú ), quanto brigar com os meninos de igual pra igual, apanhar e depois ficar sentada chorando com eles pedindo desculpas por esquecerem que eu era uma menina auhauahuah  quantos ralados, quantos hematomas, quanto esconder que era apaixonada pelo melhor amigo de infância, e que legal que era isso… que massa que era esconder dele que eu gostava dele e que legal era descobrir que ele gostava de mim e tinha vergonha de falar porque afinal eu era um deles, eu não era a menininha, e quando o menino vinha dizer algo mais fofinho, eu virava e dizia  ”nossa que gay isso, que papo de menininha, para com isso, vamo andah de bike!” …  eu só dei meu primeiro beijo no meu melhor amigo de infância, porque ele ia em uma festa, e disse que queria beijar uma menina e não sabia beijar e ele disse que então a gente devia se beijar pra aprender, já que a gente amigo, pra poder beijar quem a gente quisesse beijar, assim ninguém ia saber que a gente era BV, e então a gente só se beijou por questões técnicas, CLARO!  Tem uma cena, de um filme, que me lembra meu primeiro beijo,  acho que porque teve a mesma essência…

puta infância linda que eu tive, cheia de cheiros, cores, sabores, arranhões, eu não tive tempo pra não ser feliz, por isso que mesmo tendo acontecido tanta coisa ruim na minha infância eu não fui infeliz, eu não tive foi é tempo pra isso… eu tinha mais coisas a fazer, eu tinha minha turma da rua, e tenho eles até hoje… sempre que os encontro, sei que a gente tem aquela coisa louca, de ficar toda noite sentados no degrauzinho em frente ao antigo INPS, que troço FODA! Não tinha me tocado disso, até pensar na vida daquela menina chata que mencionei…

Os meninos são muito legais que as meninas… e as meninas mais legais são aquelas que não são muito cheia de coisas de “minininha” … fui aprender a ser menina depois dos 15 anos de idade, na verdade acho que depois dos 17…  e acho que isso fez toda diferença… eu sei que hoje eu adoro ser uma menina, eu sou vaidosa, sou cheia de nhenhenhém, mas é um nhenhenhém diferente…

Acho que eu e aquela amiga que citei a gente era meio Carly e Sam… caramba como a gente era tosca… como a gente aprontava!!! Foi a irmã que eu gostaria de ter tido e tive por escolha… e eu sempre vou amá-la profundamente por isso, embora hoje sejamos pessoas muito diferentes uma da outra, bobagem dizer isso, pois sempre fomos muito diferentes uma da outra e isso que era super legal e continua sendo…  embora hoje estejamos distantes fisicamente, porque moramos em cidades diferentes, e tivemos um desenvolvimento intelectual diferente… ah bobagem, a gente sempre foi muito diferente em tudo e sempre deu super certo… a gente só não é mais como antes porque estamos em cidades diferentes, mas sempre que a gente se vê é a mesma coisa mesmo ela tendo 3 filhos hoje… ela sempre diz que ela queria muito que as filhas dela tivessem uma de mim pra elas… a cunhada dela de tanto ouvir nossas histórias, sempre diz que queria ter tido uma eu pra ela… Rô é o nome dela… Rô, Rôse, RoseldaScoth! Que eu sempre vou amar de paixão… e eu digo, todo mundo tinha que ter uma Rô também, porque eu era a pessoa que dizia… “VAMOS PEGAR UM TREM PRA LUGAR NENHUM”… e ela sempre dizia “VAMOS!”…  Ai, que foda!!!  Ela fez muita diferença, porque sozinha eu não teria ido nem me divertido tanto quanto me diverti, não teria feito tanta coisa, ido a tantos lugares e conhecido tanta gente e tantos lugares…

Mas não foi só ela, e a Andréia então? E a Joelma, o Joel, o Guto, a Jussara! A Michelle, o Wellington, a Luciana, a Rosana? O Piva! ah, se eu contar as pessoas que fizeram parte da minha vida e com quem tenho histórias engraçadíssimas e fortes, vou passar muito tempo dizendo… e embora eu seja uma pessoa distante delas hoje, é assim que eu sou, é minha natureza… eu vivo um momento intenso, depois eu vou embora… acho que sou meio Nanny Mcphee!!!

Puta merda, eu dava umas festas em casa, inacreditáveis…. até futebol americano com mortadela na cozinha inundada de água eu já presenciei… com bandas tocando na sala… e pasme, sem uma gota de álcool… CLARO que todo mundo achava que eu era uma drogada, como alguém poderia fazer aquelas coisas sem usar drogas auhauhuaha

E seria mais fácil pra eu explicar que como sou dizendo que uso drogas, do que convencer que sou assim e não uso…

Sei que minha vida é uma vida FODONA! E eu amo existir nela… só queria mesmo fazer umas plásticas…. alguém pode me dar R$ 30 mil? Aposto que tem muita gente que pode… aguardo resposta! xD

É, acho que eu fui o menino mais legal da minha rua! ^____^

Leiam esse livro…

CLICK AQUI

Procurem a História da Teresinha e da Gabriela, mais pro final do livro. foi mais ou menos assim… xD

Fico nessa…

Bjus e ateh!

postando do celu na cama =/

abril 19th, 2011

Nota débil mental: dessa vez você se enganou.

Nossa que menina chata!

abril 18th, 2011

Não tem coisa mais chata que menina chata.

Eu sei lá, eu sou uma pessoa complexa de hábitos muito simples.  E não me agrada a companhia de pessoas que ficam tricotando problemas o dia todo, e a noite destricotam pra no dia seguinte tricotar tudo de novo.

Quando a gente é jovem, no início da vida, sabe, esse começo de ter as próprias coisas, tem gente que acha que o importante é se matar de estudar pra depois ganhar dinheiro pra depois poder usufruir.

Só que às vezes a vida não te dá esse tempo.

Aprendi isso quando herdei um guarda-roupas cheio de coisas que nunca foram usadas, esperando por um dia que nunca chegou. Minha mãe, sabe, ela tinha muitas roupas no guarda-roupas, que jamais haviam sido usadas, esperando por um dia especial, vinho caro aguardando uma ocasião especial… e nem é que o tal dia especial nunca chegou, os dias especiais foram passando passando e ela nunca enxergou, porque foram intulados de hoje.

Pois é, enquanto minha mãe estava ocupada demais criando seus próprios problemas, a vida foi passando, e ai acabou.

Conheço uma menina, que é chata a beça, cheia de problemas psicológicos daqueles que não tem o menor charme, e nem causam o menor encanto, é chata, difícil de aguentar, um pau no cu! Tá sempre de cara fechada, sempre reclamando, dá pra ver que ela não se gosta, e até quando ela diz que tá bem dá pra perceber que ela se esforça, é chata pra caramba, e acha que os outros tem que aguentar ela assim, mas até quando vão aguentar assim? O pai e a mãe suportam porque é obrigação, o namorado suporta porque é do interesse dele. E tenho certeza que no fundo ela sabe que se não prover o cara, que ele vai é cair fora, porque aguentar ela é um baita de um saco!

Mas ai eu penso, isso é vida? A mina trabalha pra ter coisas, a vida dela é esta, ter coisas, porque certamente sabe que tendo coisas tem o cara do lado dela, no fundo, lá, bem no fundo ela sabe. E no fundo, lá no fundo, talvez seja isso que a faça viver eternamente nesse mau humor dantesco.

A irmã que eu tive um dia, era bem assim, igualzinha, mas igualzinha de um jeito igualzinho que nem dá pra acreditar, e? A mina secou, o marido se foi, e os anos também, e aposto que ela tem um guarda-roupas cheio de roupas esperando um dia que nunca vai chegar.

Eu não tenho dinheiro, mas eu tenho tanta história pra contar, TANTA, TANTA, e escrevo uma nova todo dia. Quando eu percebo a vida que essa menina chata teve, na infância e adolescência, eu percebo que eu vivi de um jeito, que eu nem sei como me agradecer por isso. Desde que me conheci por gente… eu sempre vivi absurdamente, nossa, quantas coisas eu fiz, quantas sensações, quantos lugares, vivia na rua, na pracinha, no parquinho, de bicicleta, divertindo os meus amigos com minhas invencionices, fazendo as coisas acontecerem, até hoje é assim, e eu preciso que seja assim.

Eu sei que dizem que eu sou maluca por gastar dinheiro salvando cachorros que não são meus, fazendo cursos de coisas por prazer e não por pensar em trabalho e em dinheiro, que sou idiota por não ser do tipo que se relaciona com os outros por interesse, que não tece uma rede social em volta de si pra proveito próprio, não mesmo, isso não faz minha alma maior.

E eu não submeto as pessoas à minha loucura, quando eu estou bem, e sociável eu vejo as pessoas, quando não estou, não vejo.

Sei que as pessoas não aceitam bem isso, não entendem que o fato de você não querer contato com pessoas não quer dizer que você as odeie, só quer dizer que você gosta um pouco mais naquele momento de ficar com você mesma.

SABEM PORQUE AS PESSOAS SEMPRE SE CERCAM DE OUTRAS PESSOAS, DA COMPANHIA ALHEIA? PORQUE NÃO QUEREM FICAR SOZINHAS?

Não é por não suportarem a solidão, é por não suportarem a si mesmas, então, se você vive rodeado de gente, com a tv ligada, o som ligado, conversando toda hora com todo mundo, sempre fora de casa, trabalho, escolha, barzinho, cinema…   você não se escuta, você tem sua companhia, e você precisa muito do outro, muito, e o tempo todo….

EU ODEIO GENTE CARENTE!

Gente carente é um saco!

Ainda bem que eu tenho a escolha de não conviver com gente chata… ainda bem… ainda bem… ^^

E quando a palavra deixou de rimar, só sobrou seu nome.

…e não é que ela achou que era melhor assim…
sorriu, e percebeu que não precisava mais ir embora… agora podia ficar.

“e então uma forte chuva veio, e acabou com o trabalho de um ano inteiro”, molhando os desenhos armazenados sob a janela. E quem mais armazenaria desenhos debaixo de janelas?
“E o pulso, ainda pulsa”.

Ich verstehe!

abril 14th, 2011

(rascunho)

As pessoas confundem liberdade de EXPRESSÃO o com liberdade de AGRESSÃO.

Uma coisa é você ter o direito de defender suas idéias, de maneira clara. Odeológica. Outra coisa é você ter o direito de ser ofensivo, discriminatório, difundindo ódio mascarado de ideologia, e olha que eu ODEIO quem ODEIA o ÓDIO!

Minha chácara fica há na zona rural, muito próxima de um distrito de 13 mil pessoas, onde a maioria é migrante do nordeste, vieram em busca de trabalho, vivem trabalhando no cultivo e corte de cana. A população do distrito é flutuante, pois na época de safra, mais migrantes vem à trabalho, e partem com o término da safra.

De fato, o distrito tem um alto índice de violência, muitas pessoas ignorantes, muita sujeira pela rua, e muitos problemas. Mas daí a achar normal que alguém venha dizer que esse povo nordestino é sujo, violento, e ignorante é demais! É ódio, é discriminação.

Eu sou critico de forma contundente essa situação, acho o cúmulo que uma pessoa não tenha no lugar onde vive condições de trabalho, estudo, moradia, saúde e cultura e se veja obrigada a migrar pra tão longe em busca de um subemprego!

Acho triste que um jovem de 25 anos não saiba ler, não tenha instrução nem consciência, e ache que tudo se resolve na ponta da faca, que jogar lixo no chão está tudo bem, mas vejamos, isso, é a ponta do iceberg, é a consequência de um problema e não apenas a causa dos problemas advindos da situação em que esse ser humano se encontra por não ter tido instrução, educação, e não ter desenvolvido sua consciência.

E não me venha dizer que é uma pessoa que não correu atrás de se desenvolver, pois quando uma pessoa tem que acordar as 3h da manhã, para as 4h estar pegando um ônibus na beira da estrada pra estar numa lavoura de cana, cortando cana já antes do sol nascer, e fazer isso de maneira ininterrupta, ganhando por m² cortado o que não dá pra comprar um copo de água, e trabalha o dia todo sob sol escaldante, e chega em casa e ainda querem que ele arranje força e cabeça pra ir pra escola estudar?

E tem muitos que estudam, se esforçam, mas sabemos que quem estuda em escola pública e tem o dia todo pra estudar, ainda assim não tem garantido seu ingresso em uma faculdade, estudando apenas a noite então, muito menos, a não ser que tenha uma inteligência acima da média, porque por esforço e estudo vai ser impossível, porque hoje, quem é de escola pública e passa em um vestibular, estudou muito além do que a escola traz no curriculum, eu estudei em escola particular e em escola pública, inclusive noturno, e sei a diferença do diurno em escola particular e pública, e sei a diferença entre o noturno particular e público. Inclusive tive aulas com a mesma professora, na mesma séria, na particular e na privada, e era vergonhoso o desempenho dela na pública se comparado com o desempenho dela na particular.

Mas voltando ao direito de expressão e ao direito de agressão. Eu acho que a quem usa o direito de expressão pra agredir e difundir o ódio, deve haver sim uma punição séria, e pesada.

E eu não lido com gente assim, qualquer pessoa assim perto de mim é expressamente convidada a se retirar da minha vida, pois não lido com pessoas desse tipo. Não quero iniquidade perto de mim. Não aceito e não tolero esse tipo de gente, e não vejo como alguém pode achar que isto deve ser tolerado. Outra vez digo, existe uma grande diferença entre direito de expressão e direito de agressão.

Entre ser uma pessoa com conceitos e pré-conceitos e ser uma pessoa com pré-conceitos e discriminação.

Na verdade tem gente que é ruim, que é podre, que tem má indole. Que precisa inferiorizar os outros pra se sentir superior.

LIXO!

Quanto ao distrito que fica perto da minha chácara, tem muita gente lá, que veio do norte e nordeste, que é pobre, e que é limpo, decente, inteligente, e indignado com a situação. Tem muita gente que combate a iniquidade, que tem bom coração, que tem boa índole, mas isso não aparece no noticiário. E as pessoas só vem a facada, a facãozada, fulano que morreu com tiro… E a gente, que é meio São tomé, e tem que ver pra crer, acabamos acreditando apenas no que vemos, e não procuramos ver além do que enfiam em nossos olhos como realidade.

BIG BROTHER IS WATCHING YOU!

Existem coisas que eu não vou achar normal NUNCA. E podem dizer que eu sou de excluir as pessoas, porque sou mesmo, se posso lidar com o melhor do trigo pra que vou querer chafurdar no joio?

Querem uma vida boa? Afastem as pessoas ruins de perto pra começar…

É a gente erra quando não nada só porque acha que o podemos fazer é muito pouco e nem vai fazer diferença no todo…

No final do ano me deparei com a Nina, uma cachorra abandonada no distrito que fica perto de onde tenho uma chácara.

A Nina, estava só o pó da rabiola! Pele e osso! Adivinha se eu consigo passar por isso e fingir que não vi, ou que o problema não é meu?

¬¬

Levei a distinta senhorita pra casa, e semana passada ela foi castrada, ou foi semana retrasada? Não me lembro, tem tanta coisa acontecendo que mal tenho tempo pra pensar… mas ainda bem que são coisas boas…

Agora ela tá assim, engordando e engordando… ficando bem e tudo ^^

E acho que tá feliz!

No domingo um dos meus cachorros foi mastigado pelo outro, briga…  me atrasou a vida auhauhahu mas tudo bem ^^

Tenho produzido muito, mas minha cabeça anda meio fora dos trilhos ainda.  Mas estou resolvendo isso, aos poucos mas estou! Porém ainda procrastinando.

Andei me questionando sobre quando devo falar e quando devo me calar. Estava em um fórum, e um cara que tem um blog onde ladra contra nordestinos e contra pessoas que moram na zona leste de Sampa, fez um post cheio de ódio e preconceito contra pobres, e usou a foto de um deficiente mental pra ilustrar, não consegui ficar quieta, e claro que cortei contato com esse ser de segunda classe. Um idiota, mediano, medíocre, cheio de filosofia de merda, um derrotado, tudo que li dele passa isso, um derrotado, que nem pra arranjar namorada serve kkkk pega coisa de segunda mão e ainda pretende criar filho dos outros kkkk eu ri lógico, entendi que ele sabe que é um merda derrotado e tem que inferiorizar os outros pra se sentir superior kkk LOSER! Descarto, não serve nem pra ser colega de fórum!

Não dou direito de resposta a pessoas assim, não deixo que tenham contato comigo, deleto mensagens sem ler, aprendi a separar o joio do trigo, não lido com iniquidade, não gosto de maldade perto de mim, não quero, não tô afim!

Nesse mesmo fórum conheci uma bailarina linda… Uma princesa, que me mandou a foto mais fofa que vi nos últimos tempos…

Porque vou lidar com o joio quando posso lidar com o melhor do trigo!
E por falar em o melhor do trigo, um dia falarei aqui sobre o Iron Man! Um dia! s2

Mudando de assunto, alguém gosta de pastel de queijo minas com goiabada cascão? Não, não é Romeu & Julieta, nâo é!

Depois publico fotos dos quadros novos.

Depois…

Hope for the flowers

abril 9th, 2011

http://www.hopefortheflowers.org/

preto no branco

abril 5th, 2011

Lidando com a insanidade…

abril 5th, 2011

Esculpi um totem em gelo translúcido em meio a uma tempestade de granizo.
E pretendi não me ferir com os estilhaços.
Ah, como pretendi.

Simulacros abaixo de zero, sensíveis ao calor humano.
Erro, eu erro, berro, e ainda há o escárnio pra rejuntar os segundos que, a cada segundo, ficam mais curtos e com mais espaços entre si.

Um vácuo temporal, um átmo suspenso por grandes ganchos de aço cirúrgico.

Há um tempo atrás eu tinha asas, metálicas, com filigranas delicadíssimas, e extremamente aptas a decaptação.

Há um tempo atrás, eu tinha tempo.

Há um tempo atrás eu tinha.

E agora eu esculpo totens sob chuva de pedra.

E agora eu?

Eu pretendi não me machucar com os estilhaços.

Aquela vadia disse pra que eu não falasse de mim, pra que falasse da natureza, eu sou minha natureza, o EU é minha paisagem mais violenta, mais cheia de contraste, mais zen e mais perturbada.

Mais perturbadora.

Translúcida.

Eu é que transponho minha lucidez. Dez, entre dez ideias que compõe uma ilusão são de fato, reais, mais reais que qualquer realidade aparente e empírica.

E eu queria apenas ser o centro avante do meu time de totens translúcidos.

Mentira, mentira, eu pretendia apenas lhe ferir com os estilhaços.

Estão ouvindo as sirenes?

tipo post-its

giz pastel oleoso + papel velhusco = diga que entende

minhas máscaras são conhecidas
nós desatados
conceitos estremecidos
noites mal dormidas

minhas máscaras carcomidas
nos dasatando
laços esquecidos
noites mal dormidas

e de noite em noite
açoite eufórico
na alma se dá

e de dia em dia
eufórica alegoria
da penumbra não retornará

e assim nas calhas de roda
nada gira
nada entretém

e eu escondi, atrás de mais uma máscara
o quanto, na ve3rdade, não doeu.

Proudly powered by WordPress. Theme developed by Shantall.
Copyright © w w w . s h a n t a l l . c o m. All rights reserved.